Quitaiús e a Festa do Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 Por:Manoel Severo

Caravana Cariri Cangaço na fazenda do Cel. Joaquim Leite em Quitaiús

já pensamos que havíamos visto tudo de nosso imenso cariri, a programação do Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 nos proporciona um encontro memorável com a história e a raiz de nossa região: O distrito de Quitaiús.  

Vamos nos valer do grande Dimas Macedo para apresentar o distrito de Quitaiús em 
Lavras da Mangabeira:

"Quitaiús tem uma raiz social diferente, uma comunidade fraterna e solidária e um jeito de pensar as coisas do saber que nos escapam à observação. E é por isto que precisamos de alguém para explicar a sua trajetória e nos dizer o tecido da sua evolução, com o domínio completo da palavra dos que nascem totais para escrever. Quitaiús é uma terra visivelmente protegida por Deus. Nação de mulheres vigorosas. Pátria de famílias ordeiras e ilustres. E de seres humanos que encarnam as melhores virtudes sociais.Os estigmas da fé em São Francisco e em Nossa Senhora do Rosário parecem que são fortes entre os que ali mourejam, de sorte que Quitaiús tornou-se, com o tempo, o lugar das vocações sacerdotais do município, mercê, talvez, da influência do Padre Cícero Romão de Juazeiro sobre o destino da comunidade."


Alunos do 7º ano da Escola Joaquim Teixeira
Altar da Igreja de Quitaiús
Espetacular Exposição dos alunos da EJTL

Taynara e a recepção para os convidados Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014
Emerson Monteiro, Dimas Macedo e Malvinier Macedo

 Ester Esmeraldo, Malvinier Macedo e Cristina Couto
Luiz Augusto e Dimas Macedo
Manoel Severo, Cristina Couto, Luiz Augusto e Ari Camargo

E continua Dimas Macedo:"Impressiona-me que Quitaiús tenha dado onze sacerdotes à constituição do clero cearense, contando-se entre eles duas importantes figuras da Igreja Católica do Brasil: monsenhores José Edmilson de Macedo e Alonso Benício Leite. E que dali sejam naturais o padre Manoel Machado e o não menos renomado, Claírton Alexandrino de Oliveira, vigário-geral da arquidiocese, reitor da Igreja do Rosário e orgulho máximo da colônia lavrense em Fortaleza."

Tendo como um dos anfitriões da manhã, o próprio poeta, escritor e historiador Dimas Macedo e secretária Cristina Couto, a caravana Cariri Cangaço Lavras 2014 teve a oportunidade de conhecer esse cenário marcante da vida de nossa Lavras e de todo o Cariri; foi aqui também, nas terras de Cazuza Clemente e Cel. Joaquim Leite Teixeira, que padre Cícero Romão Batista, encontrou abrigo por ocasião dos momentos mais trágicos das perseguições da igreja ao santo de Juazeiro.

Coordenadora Joana D'Arc e Professor Cícero Brito
Cristina Couto, Luiz Augusto, Ari Camargo e Wescley Rodrigues
 Tomaz Cisne e João Calixto Junior
Luiz Augusto, Guerhansbergue Tayllor e Emerson Monteiro

O santo padre da Meca nordestina tinha uma forte ligação com Quitaiús, a partir de sua amizade sólida com Barnabé Leite Teixeira, pai do Cel. Joaquim Leite Teixeira e do Major Moisés e com "Cazuza Clemente do Clã dos Clementes , um dos grandes civilizadores do Riacho do Rosário."

A programação iniciou com a inauguração da exposição de artefatos históricos organizada pelos alunos do sétimo ano da escola Joaquim Leite. Entre as peças apresentadas ao público, estavam o sino e os missais usados pelo próprio padre Cícero no distrito de Quitaiús por ocasião de suas passagens pelo lugar. "Aqui Padre Cícero tinha verdadeiros amigos e aqui recebeu todo o apoio de Cazuza Clemente e Cel. Joaquim Leite Teixeira" reafirma Dimas Macedo.

Senhor Valdemar Clemente
Casa de Cazuza Clemente

A visita se seguiu à Igreja do Rosário; onde se encontra sepultado Cazuza Clemente; e à sua casa, bem do lado da rua principal do distrito, em frente à igreja, onde hoje mora seu bisneto, Valdemar Clemente de 93 anos, com uma memória espetacular. "Vô Cazuza na época da revolução (sedição de Juazeiro) mandou 20 bois e três homens para a linha de frente da batalha" lembra em meio a emoção, Valdemar Clemente. 


Reporter mirim, Wemerson Brito
Fazenda do Cel. Joaquim Teixeira Leite
Cômoda e Vestes usadas por Padre Cícero
João Tavares Calixto Júnior e Manoel Severo
Iris Mendes

Do centro de Quitaiús a caravana Cariri Cangaço Lavras 2014 se deslocou até a emblemática fazenda do coronel Joaquim Teixeira Leite, "era aqui que Padre Cicero se hospedava na época das perseguições" fala Cristina Couto. Ali, em meio a um cenário espetacular se ergue a típica casa de fazenda e nela a cômoda e as vestimentas sacerdotais usadas pelo próprio Padre Cícero naqueles difíceis anos do final do século XIX.

Ainda na fazenda do Coronel Joaquim Teixeira Leite foi apresentado pelos alunos da Escola Joaquim Teixeira o projeto "Resgatando Nossa História", uma espetacular iniciativa da coordenadora Joana D'Arc Bezerra e do professor Cícero Brito. "Resolvemos dá total liberdade aos alunos e hoje estamos colhendo estes frutos" revela o professor Brito. "O projeto é recente, nasceu em julho deste ano, mas os meninos e meninas já estão apresentando um ótimo resultado" afirma a coordenadora Joana D'Arc. 

Weslcey Rodrigues
 Manoel Severo e Malvinier Macedo
Manoel Severo e Ruy Gabriel

Na verdade a iniciativa encantou a todos; "os vídeos apresentados com os repórteres mirins, os receptivos em todos os locais de visita realizados pelos próprios alunos, nos mostraram a grandeza do projeto, construindo a partir da história do lugar o fortalecimento da auto-estima e cidadania daqueles adolescentes" afirma Manoel Severo do Cariri Cangaço. Ficou a lição do quanto ainda precisamos percorrer para colocar a nossa história e a nossa cultura em seu devido lugar. O Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 em Quitaiús nos mostrou que estamos no caminho certo, agora é continuar o percurso, com muito trabalho e determinação.

Manoel Severo
Curador do Cariri Cangaço
Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 

Nenhum comentário: